Porque fotografar subexposto é melhor que superexposto

Rating: 5.00 based on 1 Rating
Paloma Gomide
  Por Paloma Gomide
Porque fotografar subexposto é melhor que superexposto www.lightroombrasil.com.br

Antes de começarmos a destrinchar o assunto, é importante lembrar que fotografar superexposto ou subexposto não configura erro, muito pelo contrário. Dependendo da intenção do fotógrafo, às vezes é necessário que a fotografia tenha alguns pontos a mais ou a menos de exposição marcando no fotômetro. No entanto, quando pensamos em recuperar arquivos na edição, se a foto estiver sido subexposta ela será mais facilmente recuperada do que se no momento do click houver uma superexposição.

Primeiramente, vamos então definir o que é uma fotografia superexposta e o que é uma fotografia subexposta:

Superexposição

A fotografia está superexposta quando a maior parte da imagem está muito clara, ou seja com uma exposição mais elevada. Pode apresentar pontos “estourados”, regiões em que não são registradas nenhuma cor, apenas o branco. Ou seja, são pontos sem informação alguma. No histograma do Lightroom por exemplo, é muito fácil identificar este tipo de imagem : o maior volume do gráfico estará concentrado no lado direito das coordenadas.

No momento do click, pode-se saber que a foto será superexposta se o indicador do fotômetro estiver marcando em algum ponto para à direita.

Subexposição

A fotografia está subexposta quando a maior parte da imagem se apresenta muito escura. Haverá perda de detalhes nas áreas de sombra, podendo apresentar pontos pretos também sem informação, assim como na imagem superexposta. É comum acontecer a perda da textura que alguma cor escura pudesse conter.

É possível identificar uma foto subexposta no histograma do Lightroom quando o maior volume do gráfico estiver para o lado esquerdo das coordenadas. Se houver algum ponto sem informação, a coordenada vertical esquerda estará “acesa”.

No momento do click, pode-se saber que a foto será subexposta se o indicador do fotômetro estiver marcando  algum ponto à esquerda.

Como corrigir?

Para corrigir a foto superexposta no Lightroom, você pode utilizar as ferramentas de exposição, realces e branco. É importante tomar cuidado para que ao tentar reduzir demais a claridade da fotografia, que a imagem como um todo não fique com um aspecto de “lavada”. Sem grandes contrastes.

Para corrigir a foto subexposta no Lightroom, você pode utilizar as ferramentas de exposição, sombras e preto. É importante lembrar que quando clareamos demais uma imagem, esta pode ficar ruidosa, com alguns “grãos” na imagem.

Muitas vezes a olho nu, não conseguimos identificar os pontos “estourados” da imagem. Para isso existe um atalho no Lightroom muito útil. Para identificar esses pontos, basta posicionar o mouse na ferramenta branco (quando for superexposição) ou no preto (quando for subexposição) e aperte a tecla ALT. Assim, aparecerá na própria imagem os pontos em questão. Esse atalho ajuda também o fotógrafo a escolher melhor qual ferramenta irá lhe servir mais apropriadamente para corrigir estes pontos, ou então ressaltá-lo. Por que não? Tudo vai depender da escolha estética do autor.

Arquivos RAW x Arquivo JPEG

Para se ter um melhor controle nos ajustes da imagem na pós-produção, o ideal é fotografar no formato RAW. O RAW é um tipo de arquivo em que as informações não são comprimidas, como no caso do arquivo JPEG, por exemplo. Por não fazer essa compressão, o arquivo RAW é mais pesado, mas também permite inúmeras opções de tratamento na imagem. E os ruídos não desejáveis demorarão mais a aparecer.

Lembrando que o sensor da câmera também influencia na pós- produção, já que uma câmera com sensor full frame dará muito mais liberdade para o fotógrafo criar em cima da imagem do que uma câmera com sensor “cropado”, por exemplo.

No entanto todas as câmeras DSRL tem a opção de fotografar em JPEG, RAW ou RAW + JPEG. Quem trabalha com um trabalho mais instantâneo e que precisa rapidamente enviar suas imagens, pode preferir fotografar em JPEG também, assim o envio do arquivo pelo wifi da câmera ou pelo celular é muito mais rápido. Como pode acontecer no caso de um fotojornalista, por exemplo.

Como escolher entre uma foto subexposta ou superxposta?

Como dito no início do texto, uma foto subexposta ou superexposta não configura erro, mas como saber quando vou querer uma foto com essas características?

Em uma foto subexposta, por exemplo, ela vai apresentar as características mencionadas acima, se for uma foto composta por bastante sombra. Imagens com feixes de luz, com poucos objetos iluminado, um contraluz no por do sol, são casos de fotos que irão conter uma grande parcela de escuros na fotografia. Já uma fotografia superexposta, poderá ser usada, por exemplo quando se quer mais áreas brancas na foto desejando um ar mais clean à imagem.

O importante é sempre lembrar que as configurações da câmera estão nos mostrando qual direção o fotógrafo está tomando, e cabe a ele escolher se aquele é mesmo o caminho certo.

Rating: 5.00 based on 1 Rating
As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.
Paloma Gomide

Paloma Gomide

Cineasta e fotógrafa, tem como motivação contar boas histórias através de imagens.

Comentários (2)

  1. Caio Carvalho
    Caio Carvalho Comprador Verificado
     

    “Como dito no início do texto, uma foto subexposta ou superexposta não configura erro, mas como saber quando vou querer uma foto com essas características?”

    Cada um é necessário ser aprendido, a ETTR é ótima maneira de conseguir imagens bem nítidas. Uma boa sugestão para um próximo tópico, obrigado!

  2. Colega Convidado
     

    ETTR mandou um abraço.

Inscreva-me para um resumo semanal dos melhores artigos publicados no blog

Seu e-mail está seguro com a gente. Promessa