Fotografia de Interiores – 7 Dicas Importantes!

Rating: 5.00 based on 4 Ratings
Heitor Pergher
  Por Heitor Pergher
Fotografia de Interiores – 7 Dicas Importantes! www.lightroombrasil.com.br

A fotografia de interiores é um ramo cheio de particularidades. O fotógrafo de interiores é contratado principalmente por imobiliárias, arquitetos, designers de interiores, corretores de imóveis, construtoras e empresas do mercado hoteleiro. Ter na manga algumas técnicas para realizar esse tipo de trabalho pode lhe render bons clientes. Se você tem interesse em se aprofundar no assunto, o Lightroom Brasil tem um workflow incrível sobre o tema!

Você pode, incialmente, achar que é fácil fazer fotos de ambientes ?inanimados?. Afinal, não é necessário dirigir os ?interiores? para obter a melhor foto. Você não vai ter olhos fechados, sorrisos artificiais e poses duras e forçadas, como costumeiramente acontece na fotografia de retratos, por exemplo. O ambiente está lá, parado, perfeito, pronto para ser fotografado. Muito simples! Não é mesmo? Bom, não é bem assim…

Como você parte desta fotografia:

Para esta fotografia:

Fotografia obtida no Restaurante do Hotel Costa Norte ? Florianópolis – Autoria: Heitor Pergher

Acompanhe as dicas a seguir para você aprender tudo que precisa saber pra sair da primeira foto e alcançar os resultados da segunda.

1 ? Utilizar lente ultra grande angular.

Essa parte é simplesmente fundamental. Você não vai conseguir fotografar um quarto ou banheiro pequenos apenas com 18mm (para câmera cropada) ou 24mm (para câmera fullframe). Você vai precisar de algo em torno de 10mm para sensores menores e pelo menos 16mm para as câmeras fullframe.

Nikon 14-24mm – Um das melhores lentes ultra grande angulares do mercado. Adquira clicando aqui.

2 ? Utilize grande campo de profundidade com aberturas pequenas.

Se você é profissional, certamente busca por lentes de grande abertura, estilo F 1.4 ou 1.8. Na fotografia de interiores isso não é fundamental, mesmo que você esteja fotografando em ambientes pouco iluminados. Para fotografia de interiores você precisa de extensa profundidade de campo e para conseguir esse efeito, você vai ter de fechar o diafragma da sua lente para F 8 ou F 11. Obviamente que para isso, você precisará de um tripé, que é o assunto da próxima dica.

3 ? Invista em um bom tripé.

O tripé é imprescindível. Se não puder investir em um Manfrotto, invista em algum outro, seja ele qual for. De preferência, compre um com nível, assim você poderá ter certeza de que a sua câmera está alinhada com o piso, e evitará fotos tortas, algo que é especialmente terrível para a fotografia de interiores. Não se engane! Você vai precisar de um tripé, por mais firme que seja o seu pulso.

Ball head da Manfrotto com nível. Adquira um ótimo tripé clicando aqui.

4 – Faça múltiplas exposições (Flambient)

Eu não estou falando aqui de fazer Bracketing na sua câmera pra depois criar aquele HDR horrendo. Esqueça isso. Você vai precisar de exposições de luz ambiente combinadas a exposições iluminadas por flash. Esse é um processo um tanto complexo que você pode aprender pesquisando por bons tutoriais no Youtube.

Fotografia HDR (três exposições de Luz ambiente)

Técnica do Flambient (Uma Exposição de Luz ambiente e três Exposições de Flash)

Restaurante a beira da piscina – Autoria: Heitor Pergher

5 ? Utilize o flash.

Você pode ficar tentado a não usar o flash, sabendo que tem um tripé e que pode fazer exposições de 5-10-15 segundos em ISO 100. No entanto, quando somente utilizada luz ambiente, são criados reflexos da luz do sol e de iluminação artificial nas paredes do ambiente, o que dá a sensação de que o quarto é multicolor. Sempre tenha um flash com você para fotografia de interiores.

Fotografia HDR (três exposições)

Fotografia corrigida por iluminação de flash

Quarto de hotel – Autoria: Heitor Pergher

6 ? Não caia na tentação de utilizar lente olho de peixe.

Você pode pensar que quanto maior o campo de visão, melhor. Então, por que não adquirir uma lente olho de peixe, que pode te dar até 180 graus de cobertura? Não faça isso, você vai transformar todas as linhas retas em equações de segundo grau (parábolas). Hoje em dia, o Lightroom ficou muito mais inteligente para corrigir toda essa distorção, mas existem limitações. O melhor mesmo é adquirir uma lente ultra grande angular retilínea e com distorção sob controle.

Fotografia de interiores obtida com lente olho de peixe

7 ? Escolha bem os ângulos para fotografar e a distância da câmera do solo.

Onde você deve se colocar no ambiente para enquadrar o melhor ângulo? Bom, eu costumo me posicionar de forma que obtenha o ângulo de visão de uma hipotética pessoa que está entrando no ambiente. Ou seja, você quer retratar exatamente a visão da pessoa quando entra no cômodo. A ideia por trás desse enquadramento está em passar, da melhor forma possível, qual é a experiência que a pessoa vai ter ao entrar no ambiente. No entanto, existem exceções à regra. Se existe algum espelho no caminho, que vá fazer você aparecer na fotografia, talvez seja uma boa ideia recolocar o tripé em outro lugar. Senão, você terá muito trabalho no Photoshop para se excluir do reflexo no espelho.

A questão da distância do solo também é importante. A tendência natural é fotografar do nível do seu olho, para representar a visão que a pessoa teria de dentro do quarto. No entanto, se você o assim fizer, irá criar linhas convergentes na sua imagem. Ou seja, a parede que deveria parecer estar em 90 graus com o chão, parecerá estar em ângulos que se afastam e se aproximam. O ideal é fotografar, mais ou menos, da altura da sua cintura.

Fotografia com linhas convergentes, obtida com a câmera no nível do olho.

Fotografia com ângulos retos, obtida com a câmera no nível da cintura.

Conclusões

A fotografia de interiores é apaixonante. A capacidade de ultrapassar as limitações de faixa dinâmica da sua câmera através de composição de imagens e mistura de iluminação ambiente e de flash é muito recompensadora. No entanto, por ser um ramo muito peculiar da fotografia, são necessárias algumas técnicas específicas e equipamentos fotográficos também particulares desta área. Com um pouco de treino e de paciência, seguindo as dicas apresentadas aqui, certamente você conseguirá, em um curto prazo, resultados incríveis que impressionarão os seus clientes.

Cozinha de apartamento de luxo – Autoria: Heitor Pergher

Rating: 5.00 based on 4 Ratings
As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.
Heitor Pergher
Heitor é fotógrafo de arquitetura e interiores em Florianópolis, Santa Catarina. Apaixonado por aprender e ensinar, também dedica tempo ao seu canal de dicas de fotografia no Youtube.

Comentários (6)

  1. Avatar
    Flávio Santos Convidado
     

    Amigo Alberth Palhares creio que ele usou um flash ou um iluminador difuso atrás da câmera próximo a altura do teto pra cancelar os reflexos da iluminação natural vinda de fora. Talvez um pouco mais de exposição. Só que dependendo dos equipamentos isso pode ter uma infinidade de configurações né.

  2. Avatar
    Flávio Santos Convidado
     

    Gostei da matéria, logo na foto do bar do hotel percebi a exposição e o uso de flashs, sonho em seguir a carreira pois amo o conceito de simetria na fotografia, no entanto me faltam os equipamentos pra esta área. Certeza que vai dar certo.

  3. Caio Carvalho
    Caio Carvalho Comprador Verificado
     

    Tem o comando de criar HDR no Lightroom. Ele une varias imagens com exposicoes diferentes.

  4. Avatar
    Renato Alvarenga de Castro Convidado
     

    Estou iniciando nessa área e uma coisa ainda não consegui obter bom resultado que é como mesclar as varias imagens feitas como no seu exemplo da imagem 5. Ou seja, como unir as fotos com diferentes tipos e intensidade de iluminação. Seria pelo comando de mesclar do Photoshop ou Ligtroom? Muito obrigado.

  5. Caio Carvalho
    Caio Carvalho Comprador Verificado
     

    Foi utilizado um flash apenas, apontado para o teto. No entanto, ele foi utilizado duas vezes, uma vez para iluminar o primeiro ambiente (onde se encontra a cama) e depois uma segunda vez na sala mais distante, que dá para a sacada. Em ambos os casos, o flash foi apontado para o teto. Combinadas a essas duas fotografias, foi adicionado uma exposição de luz natural, sem utilização de flash.

  6. Avatar
    Alberth Palhares Comprador Verificado
     

    Fiquei bastante curioso sobre a foto do item 5, como foi utilizado o flash? para onde ele estava apontado, para o teto? Foi mais de um flash ou o mesmo flash com várias fotos em posições diferentes? Só olhando a imagem não tô conseguindo visualizar como fazer na prática.

Inscreva-me para um resumo semanal dos melhores artigos publicados no blog

Seu e-mail está seguro com a gente. Promessa