A importância de selecionar bem os trabalhos à fazer

Rating: 5.00 based on 1 Rating
Izabel Sanches
setembro 10, 2018 Por Izabel Sanches
A importância de selecionar bem os trabalhos à fazer www.lightroombrasil.com.br

Independentemente do negócio em que cada um de nós está, cada um só existe para atender às necessidades dos clientes. Desde que comecei meu negócio na Fotografia, nunca o defini em termos de “o que temos para vender”, mas sim em termos de “que problemas de cliente podemos ajudar a resolver”. Superficialmente falando, esta distinção pode não parecer profunda, mas posso dizer-lhe que tem sido um princípio orientador poderoso para cada oferta / produto de serviço que alguma vez criei.

Se parte do seu planejamento de negócios envolve o desenvolvimento de novos produtos ou serviços, não pense no seu negócio. Pense nos pontos de dor que os clientes estão vivenciando. Se você puder tirar a dor deles de alguma forma, eles ficarão felizes em lhe dar dinheiro para a sua solução.

Nunca tenha medo de recusar trabalho

Cada um de nós que está no ramo, seja fotógrafico, ou algum outro tipo de serviço, é tão bom quanto a nossa última tarefa. Assumir um trabalho que não se encaixa em nosso conhecimento ou não é uma boa combinação para nossos objetivos é uma receita para a decepção dos clientes. Eu recusei alguns trabalhos no passado e descobri que, se feito corretamente, pode melhorar sua reputação com seus clientes. Eu também me esforcei para ajudar os clientes a encontrar a melhor solução para suas necessidades, se é algo que não posso oferecer com um padrão de qualidade apropriado. Muitos clientes agora têm o hábito de me ligar quando têm um projeto fotográfico em mente. A conversa geralmente começa com: “Eu sei que isso não é algo que você faz, mas eu queria saber se você poderia nos ajudar a encontrar alguém que pudesse …” A vantagem de ajudar clientes com esses tipos de problemas é óbvia. Quando eles têm algo na sua zona de ataque – você é a primeira pessoa que eles pedem uma solução. A escolha de clientes adequados à sua especialidade e equipamentos é a melhor maneira de construir uma base sólida para atribuições de retorno e oportunidades de encaminhamento.

Não há problema em recusar um cliente

Às vezes nós não selecionamos nossos clientes muito bem e acabamos fazendo o trabalho para pessoas que são tão difíceis e exigentes que nos causam muito mais estresse e agravamento do que o seu valor. Ou, às vezes, temos clientes que estão cronicamente atrasados com seus pagamentos. De qualquer forma, eles são os principais candidatos a se recusar serviço para que você possa liberar algum tempo para encontrar melhores clientes com quem trabalhar. Ajudar um cliente que você recusou serviço a encontrar outro profissional pode ajudar a aliviar a dor para eles. Porém lembre-se que ao recusar um cliente provavelmente ele nunca irá querer fazer mais nada com você e você perderá o dinheiro que receberia pelo mesmo.

Confie no seu instinto

Se você é como eu, você teve momentos em que esteve em uma reunião com um possível novo cliente e algo não pareceu certo. Você não pode tapar o sol com a peneira, mas seu instinto diz que algo está errado. Eu aprendi a ouvir meu instinto. Se não parece certo, eu abro mão do trabalho e sigo em frente.

Se você não é pago, você não come

Gerenciar seus pagamentos a receber e ser aberto com os clientes sobre as expectativas de pagamento é fundamental para um relacionamento sólido e duradouro com o cliente. Leva tempo para acompanhar seus pagamentos de maneira diligente, mas ajuda a manter um bom fluxo de caixa e relações positivas com o cliente. Clientes que realmente respeitam o trabalho que você faz para eles estão felizes em pagá-lo antes do prazo estabelecido. Além disso, a melhor parte é que você começa a comer sem se preocupar!

Escolha clientes que entendem e valorizam sua fonte de credibilidade

Quando um cliente nos dá o seu aval é porque eles têm fé em nosso trabalho e conhecimento. Eles confiam em nós para produzir um serviço que, pelo menos, atende e, espera-se, excede suas expectativas. Quando os clientes entendem e valorizam nossa fonte de credibilidade, seja proveniente de nossa experiência em determinado setor, em um determinado gênero de fotografia ou de algum outro fator, isso leva nosso relacionamento a um campo completamente diferente. É uma realidade emocional em que nossos clientes percebem que não temos nenhuma competição direta… somos únicos. Sempre acreditei que não tenho concorrência e que há mercado para todos.

Concentre-se em fazer por amor, não em levar ouro ao túmulo

Não tenho dúvidas de que poderia ganhar mais dinheiro se não tivesse sido tão seletivo ao escolher meus clientes nos últimos tempos. O resultado teria sido uma conta bancária mais gorda, mas eu teria pago um preço alto ao longo do caminho para consegui-lo, fora os aborrecimentos com clientes. Fazendo trabalho que eu não gostava, apenas por dinheiro. Noites sem dormir imaginando se teria dinheiro o bastante para as contas. Horas gastas tentando me preparar psicologicamente para participar de um encontro com um cliente.

Costumo dizer aos amigos e colegas de profissão que agora tenho o luxo de apenas fazer um trabalho que eu gosto com os clientes que eu realmente tenho afinidade e que valorizam meu trabalho, e acreditem… isso não tem preço!

Após selecionar bem os seus clientes aproveite para estudar com essas 5 dicas para preparar uma sessão de retratos em casa, a nossa coleção completa do Lightroom e aprenda também dicas preciosas de como usar o Instagram para ampliar seu negócio na fotografia.

Até breve!

Rating: 0 based on 0 Ratings

As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.
Izabel Sanches

Izabel Sanches

Fotógrafa por amor, empreendedora, estudante incansável das artes e marketing digital. Sempre em busca de conhecimento e de preencher a alma com o que preenche a vida!

Comentários (0)

Ainda não há comentários.

Inscreva-me para um resumo semanal dos melhores artigos publicados no blog

Seu e-mail está seguro com a gente. Promessa