8 Maneiras básicas para criar equilíbrio nas suas fotos

Rating: 0 based on 0 Ratings
Caio Carvalho
  Por Caio Carvalho
8 Maneiras básicas para criar equilíbrio nas suas fotos www.lightroombrasil.com.br

O que é o equilíbrio?

O equilíbrio é uma forma de compor uma imagem para que todos os elementos se complementem igualmente. A harmonia ou a tensão visual resultam em uma imagem agradável.

Muitos elementos diferentes podem ser envolvidos para incorporar o contrapeso na composição da sua imagem:

Como você alcança o equilíbrio?

Quando você compõe sua cena, você precisa pensar sobre os diferentes elementos e como eles interagem e se relacionam entre si. Qual é a história que você quer contar ou mostrar? Qual é a emoção que você está quer transmitir?

O equilíbrio pode ser harmonioso, onde todos os elementos estão igualmente presentes e formam um todo esteticamente agradável – a simetria é um bom exemplo. Uma cena da paisagem espelhada perfeitamente em uma lagoa ou em um lago pode ficar muito harmoniosa.

Uma imagem pode ter tensão visual devido ao desequilíbrio. Pode parecer contra-intuitivo dizer que isto igualmente cria o equilíbrio necessário mas pense no espaço negativo ou um ponto pequeno vermelho que se destaca na imagem.

Muitas vezes, vários fatores diferentes entram em jogo para alcançar o equilíbrio, mas isso não é necessariamente o único problema para se resolver na imagem. Cada imagem tem cores, um assunto, Tom, contraste e assim por diante, que estão todos envolvidos na produção do equilíbrio da sua imagem final.

Alguns desses conceitos têm a ver com a mecânica de como você tirou a foto (luz/sombra/contraste/Tom) e alguns são mais composicionais (simetria/espaço negativo/colocação de assuntos). Portanto, há muitas coisas diferentes a considerar para cada imagem.

Vamos olhar cada uma em mais detalhes:

1 – Cor

A cor tem um grande impacto em suas imagens. Quando a película colorida surgiu houve um impacto enorme na fotografia. Ser capaz de ver cores brilhantes em vez do monocromático era muito diferente. Isso conduziu a muitos estilos e técnicas diferentes na fotografia, e que ainda é a maneira dominante em que as imagens são processadas hoje.

Ela permite criar emoção, tensão, destacar um elemento específico, atrair a nossa atenção e contar a história da imagem de maneiras diferentes.

Use a cor para evocar um humor, um sentimento, ou um período de tempo. Entre diversas outras funções, aconselho ler o artigo sobre psicologia da cor que lhe dará ótimas dicas de como trabalhar com as cores.

2 – Luz vs. Sombra

Luz e sombra são os elementos opostos necessários para a fotografia. Se você tem luz, em geral, você terá sombras. Quando você tem ambos presentes você consegue a impressão de dimensão, eles se tornam elementos físicos complementares, mesmo que eles estejam sendo vistos em um plano 2D (ou impresso ou em uma tela).

O contraste e a diferença tonal tornam uma imagem mais dinâmica e interessante. O contraste vem da diferença entre a quantidade de luz e sombra num local da imagem. Mais contraste alargará a escala tonal da imagem, ao contrário terá aparência de plano, ou liso.

3 – Textura

A textura pode estar presente de maneiras diferentes. Ela está em torno de você e em tudo que você vê, mas frequentemente passa despercebida.  A textura pode destacar algo e tornar-se um elemento-chave na sua imagem, com diferentes texturas você pode criar equilíbrio em diversas situações. Uma imagem com poucas texturas terá uma aparência minimalista e pode ser usada ao favor do equilíbrio também.

4 – Peso (ou tensão) visual

Este é um conceito complicado pois às vezes parece ser um pouco contraditório. Como um pequeno elemento pode sobrecarregar uma imagem maior? Como um pingo de uma cor pode dominar uma parede de outra?

Nesse caso o melhor a fazer é observar os elementos da imagem e posicioná-los de uma maneira que um complemente o outro. Não deixe a imagem cheia de detalhes de um lado e no outro sem nada. Finja que a imagem é uma balança e você precisa contrabalancear os elementos para o peso ficar igual no final. O que nos levará ao item 5:

5. Colocação de sujeito ou objetos

Onde você coloca o assunto no quadro é importante de muitas maneiras. Pode ser usado para mostrar a escala, a relação entre elementos, para realçar a tensão, ou para criar uma sensação específica ou um estilo específico em uma imagem.

Um exemplo clássico é a regra dos terços – onde é ensinado que um sujeito colocado no centro de um quadro não causa drama nem impacto – Quando o assunto está olhando em uma direção particular, onde você o coloca afeta a sensação da imagem. Se eles estão olhando para fora do quadro, colocá-los perto da borda cria uma imagem muito diferente do que se você compor a imagem com eles estão olhando para dentro da composição.

6 – Relação dos elementos

Semelhante ao #5 acima, isso leva o conceito de posicionamento um passo adiante. Você precisa considerar a relação específica entre os elementos e como você pode usar isso na composição de sua imagem.

Aqui a regra dos terços também pode te ajudar, lembre-se que um pastel de queijo fica ótimo na foto com um pedaço de queijo cru ao lado. Então lembre da relação dos elemtnso que você tem ao seu dispor e use eles ao seu favor para dar mais equilíbrio ainda nas suas imagens.

7 – Simetria

Quando bem feito e bem pensado, a simetria pode ser uma ferramenta útil. Uma imagem espelhada em um lago ou poça pode ficar muito boa, mas também pode ser bastante estática e desinteressante. Uma situação ímpar onde a imagem é perfeitamente equilibrada e ainda não funciona composicionalmente.

Porém em diversas situações a simetria pode funcionar maravilhosamente para fotografias bem equilibradas. Decks, estradas, postes, esculturas e muitas outros assuntos podem ficar espetaculares captados com simetria e balanço perfeitos. A vantagem de usar a simetria é que com a marcação da regra dos terços no live view da câmera, fica bem fácil saber se tudo está o mais simétrico possível ou não.

8 – Profundidade de campo

Tudo em sua imagem deve ser 100% nítido? Minha resposta é não. Você pode usar a profundidade de campo de forma criativa, equilibrando o assunto contra um fundo mais suave, permitindo que o sujeito seja proeminente elevando a força do elemento focado.

Conclusão:

Equilibrar suas fotos além de ser fácil, pode ser bastante divertido. Porém nem sempre o equilíbrio ficará como planejado e nessa hora basta ter um pouco de calma de realizar tentativas diversas para chegar no equilíbrio perfeito e criar imagens agradáveis para os espectadores e clientes.

Bom espero que tenham gostado dessas dicas e até o próximo artigo!

Rating: 0 based on 0 Ratings
As duas guias a seguir alteram o conteúdo abaixo.
Caio Carvalho

Caio Carvalho

Apaixonado por arte, tecnologia e pela natureza, Caio encontrou na fotografia e vídeo uma forma de se expressar e nunca mais parou. Editor de fotos, fotógrafo e videomaker há quase 10 anos.

Comentários (0)

Ainda não há comentários.

Inscreva-me para um resumo semanal dos melhores artigos publicados no blog

Seu e-mail está seguro com a gente. Promessa